Passageiros confiantes na segurança a bordo continuam apoiando o uso de máscara

Passageiros confiantes na segurança a bordo continuam apoiando o uso de máscara

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA – International Air Transport Association) informou que, com base em sua pesquisa mais recente com passageiros realizada em junho, a maioria dos viajantes está confiante sobre a segurança das viagens aéreas e apoia o uso de máscara no curto prazo. No entanto, a maioria também está frustrada com os transtornos envolvendo os protocolos da COVID-19, incluindo confusão e incerteza sobre regras de viagem, requisitos de teste e alto custo do teste.

A pesquisa com 4.700 viajantes em 11 mercados ao redor do mundo mostra que:

• 85% deles acreditam que as aeronaves são totalmente higienizadas e desinfetadas;
• 65% concordam que o ar da aeronave é tão limpo quanto de uma sala de cirurgia.

Entre os que viajaram desde junho de 2020, 86% se sentiram seguros a bordo devido às medidas da COVID-19:

• 89% acreditam que as medidas de proteção estão bem implementadas;
• 90% acreditam que os funcionários da companhia aérea fazem um bom trabalho no cumprimento das medidas.

Os passageiros apoiam fortemente o uso de máscara a bordo (83%) e a aplicação rigorosa das regras sobre o uso da máscara (86%), mas a maioria também acredita que a exigência da máscara deve ser revogada assim que possível.

“Os viajantes aéreos reconhecem e valorizam as medidas de segurança implementadas para minimizar o risco de transmissão da COVID-19 durante as viagens aéreas. Eles apoiam a manutenção dessas medidas enquanto for necessário, mas também não querem que as medidas se tornem permanentes. Enquanto isso, todos nós devemos respeitar as regras e a segurança dos outros passageiros. É inaceitável que os incidentes com passageiros indisciplinados tenham dobrado em comparação com 2019 – o aumento do comportamento fisicamente abusivo é um motivo de grande preocupação”, disse Willie Walsh, diretor geral da IATA.

Por outro lado, os entrevistados admitem que têm dificuldades com as regras e requisitos relacionados à COVID e que isso afeta sua vontade de viajar:

• 70% deles acham que as regras e a documentação exigida são difíceis de entender;
• 67% acham a realização do teste um transtorno;
• 89% concordam que os governos devem padronizar os comprovantes de vacina/teste.

“Essas respostas devem servir de alerta para que os governos façam uma boa preparação de retomada das viagens. Quase dois terços dos entrevistados planejam retomar as viagens alguns meses após a contenção da pandemia (e reabertura das fronteiras). E seis meses depois da contenção da pandemia, quase 85% esperam voltar para viajar. Para evitar aeroportos lotados e funcionários de controle de fronteiras sobrecarregados, os governos precisam substituir os processos em papel por soluções digitais padronizadas, como o IATA Travel Pass, para o gerenciamento de comprovantes de vacina e teste”, disse Walsh.

Quase nove entre dez entrevistados gostam da ideia de usar um aplicativo móvel para armazenar suas credenciais de saúde durante as viagens e 87% apoiam o uso de um sistema digital seguro para gerenciar as credenciais de saúde. Porém, 75% dizem que só usarão um aplicativo se tiverem controle total sobre os dados da vacina/teste. “O IATA Travel Pass permite que os viajantes recebam, armazenem e compartilhem suas informações de saúde com governos e companhias aéreas, mas eles sempre têm o controle das informações em seus próprios dispositivos móveis. Agora é a hora de os governos adotarem soluções digitais como o IATA Travel Pass para evitar o caos nos aeroportos quando as viagens forem retomadas”, disse Walsh.

Publicar um comentário