IATA reitera pedido aos governos para que incluam os profissionais da aviação como essenciais para a vacinação

IATA reitera pedido aos governos para que incluam os profissionais da aviação como essenciais para a vacinação

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA – International Air Transport Association) reforçou seu apelo aos governos para garantir que os profissionais do setor de aviação sejam considerados trabalhadores essenciais durante a campanha de vacinação contra a COVID-19, assim que os profissionais de saúde e grupos vulneráveis tiverem sido vacinados.

A 76ª Assembleia Geral Anual da IATA aprovou por unanimidade uma resolução para essa finalidade.

“Não estamos pedindo que os profissionais da aviação sejam colocados no topo da lista, mas precisamos que os governos garantam que os trabalhadores do transporte sejam considerados essenciais nos planos de implementação da vacina. O transporte das vacinas contra a COVID-19 já começou e, segundo os cálculos, exigirá o equivalente a 8 mil aeronaves de carga Boeing 747 para a distribuição global. Portanto, é essencial termos uma força de trabalho qualificada para garantir a cadeia logística funcional”, disse Alexandre de Juniac, diretor geral e CEO da IATA.

Este pedido da IATA está alinhado ao Roteiro de Priorização da Vacina da COVID-19 proposto pelo Grupo Consultivo Estratégico de Especialistas em Imunização (SAGE) da Organização Mundial da Saúde, que recomenda priorizar grupos da população para receber a vacina, com base na situação epidemiológica e nos cenários de fornecimento da vacina. Nesta estrutura, o SAGE colocou os profissionais do transporte com outros setores essenciais fora dos setores de saúde e educação, como a polícia, por exemplo.

A Assembleia Geral Anual da IATA também reiterou o papel fundamental do transporte aéreo para facilitar a resposta global à pandemia, incluindo a distribuição adequada de medicamentos, kits de testes, equipamentos de proteção e, por fim, vacinas em todo o mundo.

Publicar um comentário