IATA lança grupo de ação global para melhorar o transporte de equipamentos de auxílio à mobilidade de passageiros com deficiência

IATA lança grupo de ação global para melhorar o transporte de equipamentos de auxílio à mobilidade de passageiros com deficiência

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA – International Air Transport Association) anunciou o lançamento do Mobility Aids Action Group, um grupo de ação global que vai avaliar e melhorar o transporte de equipamentos de auxílio à mobilidade de passageiros com deficiências, incluindo cadeiras de rodas, com o objetivo de aperfeiçoar o manuseio desses itens fundamentais para estes viajantes.

O grupo de ação será o primeiro desse tipo que vai abordar aspectos sobre o transporte seguro de equipamentos de mobilidade – uma questão de grande importância para um número crescente de viajantes. Também fornecerá conselhos e recomendações às companhias aéreas e outros grupos envolvidos sobre o estabelecimento de políticas, processos e padrões relacionados ao manuseio e transporte destes itens.

“Todos os anos, milhares de cadeiras de rodas são transportadas com segurança por via aérea. Mas ainda ocorrem danos ou perdas. E quando isso acontece, é devastador para o passageiro, pois esses equipamentos são mais do que dispositivos, eles são extensões de seus corpos e essenciais para a sua independência. Reconhecemos que não estamos onde gostaríamos de estar neste aspecto como um setor. Por isso, queremos fazer algo em nível global, não por meio da criação de um fórum de discussão, mas reunindo os principais grupos envolvidos para tomar medidas práticas”, disse Willie Walsh, diretor geral da IATA.

O Mobility Aids Action Group terá representantes dos grupos envolvidos nesta questão, incluindo organizações de acessibilidade (que representarão os viajantes com deficiência), companhias aéreas, prestadores de serviços em solo, aeroportos e fabricantes de equipamentos de mobilidade. Esta será a primeira vez que um fabricante de equipamentos de mobilidade será convidado a participar de uma força-tarefa da IATA.

“Este é o início de uma nova era onde a comunidade de acessibilidade terá um lugar à mesa. Companhias aéreas em todo o mundo enfrentam o desafio de transportar equipamentos de mobilidade, então saber que a IATA criou este grupo de ação reforça o compromisso do setor com a resolução de um dos maiores problemas de acessibilidade”, disse Eric Lipp, fundador e diretor executivo da Open Doors Organization (ODO).

“Como as companhias aéreas são apenas um elo da cadeia de manuseio de equipamentos de mobilidade, é essencial reunirmos membros de todos os grupos envolvidos para o desenvolvimento de soluções. Além disso, estamos animados com a ideia de ter os fabricantes de equipamentos de mobilidade na discussão. Achamos que isso é fundamental para que todos possam trabalhar em conjunto e tomar medidas para melhorar a jornada de transporte de equipamentos de mobilidade”, disse Walsh.

À medida que as companhias aéreas retomam suas atividades, o setor está ansioso para preparar uma retomada mais inclusiva. Apesar da crise da COVID-19, a IATA e suas companhias aéreas associadas trabalham com a comunidade de acessibilidade para promover a prioridade de viagens aéreas acessíveis por meio de uma série de esforços, que incluem o desenvolvimento de novas orientações para ajustar as políticas das companhias aéreas com novas medidas de saúde e segurança, além de orientações para políticas de uso de máscara facial para viajantes com necessidades de acessibilidade. A IATA também deu continuidade ao seu Simpósio de Acessibilidade anual em 2020, realizado de forma online, que recebeu cerca de 400 participantes das comunidades de acessibilidade e aviação para intensificar o diálogo e discutir os principais tópicos de acessibilidade em viagens aéreas.

“De acordo com a Organização Mundial da Saúde, existem mais de um bilhão de pessoas portadoras de deficiências. E com o envelhecimento da população em geral nos países, os viajantes com deficiências serão um segmento crescente de clientes das companhias aéreas. Com este grupo de ação, que faz parte de outras iniciativas de acessibilidade do setor, queremos continuar nesta jornada para tornar a liberdade de voar mais inclusiva, enquanto trabalhamos com a comunidade de acessibilidade em cada etapa desse caminho”, disse Walsh.

Veja a apresentação sobre acessibilidade em viagens aéreas (pdf).

Publicar um comentário