Demanda de passageiros apresenta melhora pouco significativa em maio

Demanda de passageiros apresenta melhora pouco significativa em maio

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA – International Air Transport Association) anunciou que a demanda de viagens domésticas e internacionais apresentou pequena melhora em maio de 2021 em comparação com o mês anterior. No entanto, o tráfego se mantém bem abaixo dos níveis pré-pandemia. A recuperação das viagens internacionais continua prejudicada pelas fortes restrições de viagens impostas pelos governos.

Como as comparações entre os resultados mensais de 2021 e 2020 estão distorcidas devido ao impacto extraordinário da COVID-19, a não ser que especificado de outra forma, todas as comparações são relacionadas a maio de 2019, que seguiu um padrão de demanda normal.

• A demanda total de viagens aéreas (medida em passageiro pagante-quilômetro ou RPKs) caiu 62,7% em maio de 2021 em relação a maio de 2019. Esse resultado representa uma melhoria em relação à queda de 65,2% registrada em abril de 2021 versus abril de 2019.

• A demanda por viagens internacionais de maio ficou 85,1% abaixo do índice de maio de 2019, uma pequena melhoria em relação à queda de 87,2% registrada em abril de 2021 versus abril de 2019. Todas as regiões, com exceção da Ásia-Pacífico, contribuíram para esta tímida melhora.

• A demanda doméstica total caiu 23,9% em relação aos níveis antes da crise (maio de 2019), uma pequena melhoria em relação a abril de 2021, quando o tráfego doméstico teve queda de 25,5% versus abril de 2019. A China e a Rússia continuam com aumento de tráfego em comparação aos níveis pré-COVID-19, enquanto a Índia e o Japão apresentaram queda significativa em meio a novas variantes e surtos de COVID-19.

“Começamos a ver resultados positivos com a abertura de alguns mercados internacionais para viajantes vacinados. A temporada de viagens de verão no hemisfério norte já começou. Mas é decepcionante ver que vários governos não agem de forma mais rápida no uso de dados para adotar estratégias de abertura de fronteira que ajudariam a retomar os empregos no turismo e reunir famílias”, disse Willie Walsh, diretor geral da IATA.

Mercados internacionais de transporte aéreo de passageiros

As companhias aéreas da Europa apresentaram queda de 84,7% no tráfego internacional de maio de 2021 em relação a maio de 2019, melhor que a queda de 87,7% em abril versus abril de 2019. A capacidade caiu 75,7% e a taxa de ocupação caiu 31,3 pontos percentuais, atingindo 52,9%.

As companhias aéreas da região Ásia-Pacífico relataram queda de 94,3% no tráfego internacional de maio de 2021 em relação a maio de 2019, um pouco pior do que a queda de 94,2% registrada em abril de 2021 em relação a abril de 2019. A região apresentou as maiores quedas de tráfego pelo décimo mês consecutivo. A capacidade caiu 86,4% e a taxa de ocupação caiu 45,5 pontos percentuais, atingindo 33,2%, a menor entre as regiões.

As companhias aéreas do Oriente Médio apresentaram queda de 81,3% na demanda de maio versus maio de 2019, um pouco melhor que a queda de 82,9% registrada em abril versus abril de 2019. A capacidade caiu 63,7% e a taxa de ocupação encolheu 35,3 pontos percentuais, atingindo 37,7%.

As companhias aéreas da América do Norte apresentaram queda de 74,4% na demanda de maio em comparação com o mesmo período de 2019, uma melhoria em relação ao declínio de 77,6% registrado em abril versus abril de 2019. A capacidade diminuiu 58,5% e a taxa de ocupação caiu 32,2 pontos percentuais, atingindo 51,7%.

As companhias aéreas da América Latina apresentaram queda de 75,1% na demanda de maio versus maio de 2019, uma melhoria considerável em relação à queda de 80,9% registrada em abril versus abril de 2019. A capacidade de maio caiu 69,9% e a taxa de ocupação diminuiu 14,6 pontos percentuais, atingindo 69,5%, que foi a maior taxa de ocupação entre as regiões pelo oitavo mês consecutivo.

As companhias aéreas da África apresentaram queda de 71,4% no tráfego de maio de 2021 versus maio de 2019, resultado melhor que a queda de 75,6% registrada em abril de 2021 versus abril de 2019. Em maio, a capacidade diminuiu 61,8% em relação a maio de 2019 e a taxa de ocupação caiu 16,9 pontos percentuais, atingindo 50,2%.

Mercados domésticos de transporte aéreo de passageiros

O tráfego doméstico da Índia caiu 71,0% em maio de 2021 em relação a maio de 2019 em meio ao surgimento da nova e mais contagiosa variante “Delta” da COVID-19. Em abril, a queda foi de 42% em relação a abril de 2019.

O tráfego doméstico do Brasil apresentou queda de 44% em maio, uma melhoria em relação à queda de 60,9% registrada em abril versus abril de 2019, devido ao relaxamento das restrições de viagens.

Resumindo

“Mencionando um velho ditado, quando você pensa que a única coisa que você tem é um martelo, todo problema parece um prego. Muitos governos continuam agindo como se a única ferramenta contra a COVID-19 fosse o fechamento de sua fronteira ou a quarentena ao chegar ao país. Pesquisas realizadas pelas principais organizações de saúde do mundo confirmam que os viajantes vacinados representam risco muito baixo para a população local ; além disso, os dados mostram que o teste antes do embarque elimina em grande parte o risco de importação da COVID-19 por parte de viajantes não vacinados .

“Já passou da hora de os governos começarem a responder a essas informações com estratégias baseadas em dados para gerenciar os riscos. Isso minimizará a chance de importar a COVID-19, enquanto permite a reabertura do mundo para viagens e todas as oportunidades que elas trazem para reconectar entes queridos, concretizar oportunidades de negócios, explorar o mundo ou tirar as férias merecidas”, disse Walsh.

Atualizações das viagens aéreas pós-COVID-19: Otimismo com precaução (apresentação em pdf.)

Veja a análise completa dos mercados de transporte aéreo de passageiros de maio de 2021, (incluindo as comparações 2020 x 2021).

Publicar um comentário