ABEAR, ALTA, IATA e JURCAIB apoiam a ANP na alteração da Resolução nº 778

ABEAR, ALTA, IATA e JURCAIB apoiam a ANP na alteração da Resolução nº 778

A Associação Brasileira das Empresas Aéreas (ABEAR), a Associação Latino-Americana e do Caribe de Transporte Aéreo (ALTA), a Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA – International Air Transport Association) e a Junta dos Representantes das Companhias Aéreas Internacionais do Brasil (JURCAIB), em nome do setor aéreo brasileiro, apoiam e parabenizam a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) pela alteração da Resolução nº 778, de 05 de abril de 2019, que estabelece as especificações dos querosenes de aviação fósseis e alternativos. A atualização da Resolução, realizada no dia 21 de outubro de 2021, autoriza a introdução do querosene de aviação JET-A no país, que, em termos técnicos, se diferençam pelo ponto de congelamento. O uso do Jet A-1 é relevante para voos transpolares, especialmente nos meses de inverno, características não enfrentadas no voos comerciais partindo do Brasil.

O Jet A é o único combustível disponível atualmente nos EUA e em diversos países da América Central e Caribe, e coloca o Brasil ao lado dos maiores mercados produtores mundiais. Sua introdução no Brasil permitirá uma economia de no mínimo 10 milhões de dólares por ano para as companhias aéreas que operam no país. Adicionalmente, ampliará as possíveis origens de importação e o potencial para futuras reduções nos custos dos combustíveis de aviação. Esta abordagem impulsionará a concorrência ao longo da cadeia de valor e dará suporte aos esforços do setor para enfrentar os impactos econômicos da pandemia. A geração de eficiências será ainda refletida positivamente ao longo da retomada da conectividade doméstica e internacional do país.

A utilização do JET A para o abastecimento das aeronaves mantêm os aspectos de segurança do setor e não afeta o compromisso que as companhias aéreas do mundo assumiram este ano para que o setor de transporte aéreo global atinja zero emissão de carbono até 2050, uma importante decisão para garantir que voar seja uma atividade sustentável.

Publicar um comentário