A ambição climática da aviação internacional reflete o objetivo de zero emissão das companhias aéreas

A ambição climática da aviação internacional reflete o objetivo de zero emissão das companhias aéreas

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA – International Air Transport Association) apoia os compromissos de fortalecimento de ações climáticas assumidos na COP26 e pediu que os esforços globais para descarbonizar a aviação tenham o apoio de políticas governamentais práticas e eficazes.

O gerenciamento dos compromissos climáticos da aviação internacional é feito fora do processo da COP, sob a responsabilidade da Organização da Aviação Civil Internacional (OACI). No entanto, as companhias aéreas presentes na 77ª Assembleia Geral Anual da IATA em Boston, realizada em outubro, concordaram em atingir zero emissão de carbono até 2050, em consonância com a meta do acordo de Paris de manter o aquecimento global em 1,5 graus.

“As companhias aéreas seguem rumo à emissão zero de carbono, segundo o acordo de Paris. Todos nós queremos a liberdade para voar de forma sustentável. Atingir zero emissão será uma tarefa enorme, que exigirá o esforço coletivo do setor e o apoio dos governos. As promessas feitas na COP26 mostram que muitos governos entendem que o segredo para o progresso rápido é incentivar mudanças tecnológicas e financiar soluções inovadoras. Isso se aplica aos combustíveis sustentáveis de aviação, que terão um papel importante na redução do impacto ambiental da aviação e precisam dos incentivos certos dos governos para aumentar a produção”, disse Willie Walsh, diretor geral da IATA.

Um resultado importante da COP26 foi a mobilização de 23 nações para assinar a Declaração de Ambição Climática da Aviação Internacional, que reconhece a necessidade da aviação de “crescer de forma sustentável” e reitera o papel da OACI na adoção de metas climáticas de curto, médio e longo prazo do setor. Os principais objetivos da declaração são garantir a eficácia máxima do Esquema de Compensação e Redução de Carbono da Aviação Internacional (CORSIA) e o desenvolvimento e adoção de combustíveis sustentáveis de aviação (SAF).

“Somos gratos aos estados que assinaram a Declaração de Ambição Climática da Aviação Internacional e pedimos que mais países assumam o compromisso com esta iniciativa. O plano robusto e realista de voos com zero emissão até 2050 acordado pelas nossas companhias aéreas associadas pode ser de grande utilidade para os Estados membros da OACI, que possuem uma estrutura global e meta de longo prazo para a redução das emissões de carbono da aviação”, disse Walsh.

Publicar um comentário